EN FR PT ES
A carregar Eventos

« Todos os Eventos

Fake Week

Janeiro 27 @ 10:00 - Janeiro 29 @ 23:00

Fake Aka Mentira, por Frederico Baptista
27 janeiro | 10:00 + 14:30 | Público Escolar
Oficina de sensibilização para a desinformação

 

Falsa Conferência, Verdadeira Conversa: Jornalismo e Ciência
Com Paulo Pena e David Marçal
Moderação de Inês Barahona
28 janeiro | 19:00 | Gratuito com reservas na Bilheteira TMO
Conferência | Sala Estúdio do TMO

Espaço de conversa, onde um moderador põe em diálogo diferentes perspectivas acerca do verdadeiro e do “fake” e onde se partilham boas histórias sobre boas mentiras.

As notícias falsas e o rigor da ciência: a procura pela verdade e o impacto de tudo isto na nossa sociedade e nas nossas crenças.

 

Paulo Pena, Lisboa, 1973
Estudou Ciências da Comunicação na FCSH da Universidade Nova de Lisboa. Foi jornalista na revista Visão, onde editou a secção de Política. Foi grande-repórter no Público. Desde 2018 é grande-repórter no Diário de Notícias. Em 2002 recebeu o Prémio Gazeta – Revelação em jornalismo, em 2007 o Prémio Jornalismo Económico da UNL, em 2012 o Prémio de reportagem Cáceres Monteiro e, em 2014, o Prémio Gazeta de Jornalismo. Em 2016 fundou, com outros 9 jornalistas europeus, o Investigate Europe, uma equipa permanente de investigação sobre assuntos europeus. Publicou dois livros sobre a oposição estudantil à ditadura e sobre a crise financeira e um sobre desinformação e fake news.

 

David Marçal, Lisboa, 1976

Doutorado em Bioquímica pela Universidade Nova de Lisboa (2008).

Redactor científico na Ciência Viva – Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica, coordenador da rede GPS.PT (Global Portuguese Scientists) e colaborador habitual do jornal Público.

Foi cientista na Hovione FarmaCiência e investigador em bioquímica estrutural no Instituto de Tecnologia Química e Biológica da Universidade Nova de Lisboa. Autor do Inimigo Público, redactor da revista Kulto e jornalista de ciência no jornal Público (no âmbito do programa “Cientistas na redacção”). Coordenador dos Cientistas de Pé, um grupo de stand-up comedy formado por investigadores científicos. Autor de várias peças de teatro e programas de televisão sobre ciência. Co-autor, com Carlos Fiolhais, dos livros “Darwin aos tiros e outras histórias de ciência” (Gradiva, 2011), “Pipocas com telemóvel e outras histórias de falsa ciência” (Gradiva, 2012) e “A Ciência e os seus inimigos” (Gradiva, 2017). Coordenador do livro “Toda a Ciência (Menos as Partes Chatas)” (Gradiva, 2013) e autor do ensaio “Pseudociência” (Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2014) e do livro “Cientistas Portugueses” (Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2019).

Ganhou os Prémio Químicos Jovens 2010, (pela Sociedade Portuguesa de Química), o Prémio Ideias Verdes 2010 (pela Fundação Luso e pelo Jornal Expresso) e o Prémio COMCEPT 2014 (da Comunidade Céptica Portuguesa).

 

Inês Barahona, Lisboa, 1977

Licenciada em Filosofia e Mestre em Estética e Filosofia da Arte pela Faculdade de Letras (Universidade de Lisboa).
Ingressou no Centro de Pedagogia e Animação, do Centro Cultural de Belém, em 2005, sob a direção de Madalena Victorino, onde desenvolveu projectos de relação entre as artes e a educação para público escolar, familiar e especializado.
Desenvolveu, em 2008, com Madalena Victorino e Rita Batista, para a Direção-Geral das Artes, “O Livro Escuro e Claro”, cuja distribuição acompanhou em 2012, dando formação a equipas e professores. Colaborou ainda na conceção da exposição “Uma Carta Coreográfica” da autoria de Madalena Victorino, para a Direção-Geral das Artes.

Integrou a equipa de Giacomo Scalisi, vertentes de Produção e Relação com a Comunidade, na inauguração do Teatro Municipal de Portimão, em 2008.
Trabalha em áreas como a escrita e a dramaturgia, com Madalena Victorino (“Caruma” e “Vale”), Giacomo Scalisi (“Teatro das Compras”), Teatro Regional da Serra de Montemuro (“Sem Sentido”) e Catarina Requeijo (assistência de encenação ao espectáculo “Amarelo”, texto de “A Grande Corrida” e de “Muita Tralha, Pouca Tralha”). Encenou, em 2012, o espectáculo “A Verdadeira História do Teatro”, para o Teatro Maria Matos, em 2013,  “A Verdadeira História da Ciência”, para a Fundação Calouste Gulbenkian.

Fundou, em 2014, a companhia FORMIGA ATÓMICA com Miguel Fragata, com quem cocriou os espectáculos “A Caminhada dos Elefantes” (2013); “The Wall” (2015); “A Visita Escocesa” e “Do Bosque para o Mundo” (2016) e “Montanha-Russa” (2018), ocupando-se da escrita dos textos.
Deu formação na área da escrita a professores e adultos, no Sou – Movimento e Arte, Fundação C. Gulbenkian e Circolando.

 

Fake
De Inês Barahona e Miguel Fragata – Formiga Atómica
29 janeiro | 21:30 | 7,5€ (descontos aplicáveis)
Teatro | Sala Principal do TMO

 

Bilhetes em Bol.pt (https://bit.ly/3zHhV4Y) | Lojas Worten, Fnac, CTT
Bilheteira TMO | 4ª a 6ª | 13:00 – 19:00
Dias de espetáculo | 16:00 – 22:00
bilheteira.tmo@cm-ourem.pt | 916 591 231

Detalhes

Início:
Janeiro 27 @ 10:00
Fim:
Janeiro 29 @ 23:00

Local

Teatro Municipal de Ourém
Rua Dr. Francisco Sá Carneiro
Ourém, Portugal
+ Mapa do Google
Site:
https://www.facebook.com/teatromunicipalourem
Mapa do Site Acessibilidade CMOurém © 2022 - Todos os direitos reservados