EN FR PT ES

TMO | Teatro Municipal de Ourém – Abril 2023

22 Março, 2023

Adagio – Encontro Internacional de Dança
01 – 04 abril | Coprodução Arabesque + TMO
Dança | Teatro Municipal Ourém

O ADAGIO é um encontro internacional destinado à promoção da dança. Procura reunir alunos e professores de dança num ambiente de partilha e entrega.

Conta com uma competição que se divide em duas categorias: Amadora (jovens bailarinos que praticam até 5 horas semanais em dança) e Pré-profissional (jovens bailarinos que praticam 6 ou mais horas semanais em dança).

Para além da competição o ADAGIO inclui apresentações, masterclasses, formação para professores e conversas temáticas.

Mais informações em https://www.adagiointernationaldance.com/

 

Ciclo de Cinema “Cinema e Literatura”
Uivo – Howl | 5 abril
Raiva | 12 abril
A Febre Ferrante | 19 abril
Os Anos Super 8 | 26 abril
Sala Estúdio TMO | 21:30 | 3€

PROGRAMAÇÃO INTEGRADA NA FESTA DO LIVRO DE OURÉM

 

Ciclo de Cinema “Cinema e Literatura” | Uivo – Howl

Em 1956, Allen Ginsberg edita a obra “Howl and Other Poems”, que se tornaria no livro de poesia mais vendido da História dos EUA. No ano seguinte, em São Francisco, esse livro, assim como o seu autor, é levado a tribunal acusado de obscenidade. A defesa ficará a cargo de Jake Ehrlich (Jon Hamm), um advogado prestigiado pela sua apaixonada defesa da liberdade civil. Através de uma entrevista ficcionada e seguindo o jovem Ginsberg (James Franco) durante todo o processo, os realizadores Rob Epstein e Jeffrey Friedman, mostram uma época fulcral no Movimento Beat e a sua importância no seio da contracultura dos EUA no final da década de 50, por muitos considerado como o esboço do movimento hippie, nascido na década seguinte.

Título original: Howl
De: Rob Epstein e Jeffrey Friedman
Género: Drama
Classificação: M/12
Outros dados: EUA, 2010, Cores, 84 min., M/12

 

Ciclo de Cinema “Cinema e Literatura” | Raiva

Década de 1950. A vida no Alentejo é difícil. Os trabalhadores rurais, sob o domínio dos grandes proprietários, trabalham de sol a sol e o que ganham muitas vezes não é suficiente para alimentar as suas famílias. Uma noite, depois de ser vítima de uma grande injustiça, um homem perde a razão e transforma-se num assassino.

Com realização de Sérgio Tréfaut, “Raiva” é um filme a preto e branco que adapta ao grande ecrã a obra “Seara de Vento” (1958), de Manuel da Fonseca, um clássico do neo-realismo português sobre a pobreza, a opressão e as injustiças sociais que se inspirou num evento verídico acontecido em Beja, em 1930.

O elenco, de luxo, conta com Hugo Bentes,  Sergi López, Catarina Wallenstein, Rogério Samora, Adriano Luz, Leonor Silveira, Lia Gama, Isabel Ruth, Diogo Dória e Luís Miguel Cintra, entre outros.

Título original: Raiva
De: Sérgio Tréfaut
Género: Drama
Classificação: M/12
Outros dados: POR/BRA/FRA, 2018, Cores, 84 min., M/12

 

Ciclo de Cinema “Cinema e Literatura” | A Febre Ferrante

Apesar de se ter tornado um dos maiores fenómenos da literatura do século XXI, ninguém sabe quem se esconde por detrás do pseudónimo Elena Ferrante. Mesmo que, através das suas obras, se especule que seja mulher e que viva em Nápoles, há décadas que os seus editores originais procuram manter secreta a sua verdadeira identidade. A saga composta por “A Amiga Genial”, “História do Novo Nome”, “História de Quem Vai e de Quem Fica” e “História da Menina Perdida”, simultaneamente aclamada pelo público e pela crítica especializada, transformou-se num clássico. Este documentário, da autoria de Giacomo Durzi revela a complexidade do seu universo literário. Aqui, através de testemunhos de críticos, editores, livreiros e autores célebres, entre os quais Roberto Saviano, Elisabeth Strout ou Jonathan Franzen, é discutida a escrita e o sucesso extraordinário de Ferrante.

Título original: Ferrante Fever
De: Giacomo Durzi
Género: Documentário
Classificação: M/12
Outros dados: ITA, 2017, Cores, M/12, 74 min

 

Ciclo de Cinema “Cinema e Literatura” | Os Anos Super 8

Laureada com o Nobel de Literatura de 2022, a francesa Annie Ernaux (n. 1940) tem uma vasta obra literária e ficou conhecida pelos seus romances de cariz autobiográfico, entre eles “Les Armoires Vides” (1972), “Um Lugar ao Sol” (1984), “Os Anos” (2008) ou “L’Autre Fille” (2011). Este filme, realizado por ela e co-realizado por David Ernaux-Briot, seu filho, é uma compilação de diversas gravações caseiras feitas pelo seu ex-marido, Philippe, depois de terem comprado uma câmara Super 8. Esses pequenos filmes são um retrato de um tempo e um lugar que mostram não apenas momentos de intimidade entre os vários elementos da família, mas também o funcionamento da sociedade francesa daquela época. “Ao rever os nossos filmes em Super 8, filmados entre 1972 e 1981, percebi que não eram apenas um arquivo familiar, mas um testemunho do passado, estilo de vida e aspirações de uma classe social na década depois de 1968”, diz-nos Annie Ernaux. “Queria incorporar essas imagens silenciosas numa história que juntasse o íntimo ao social e à história, para transmitir o sabor e a cor daqueles anos.”

Título original: Les Années Super-8
De: Annie Ernaux
Género: Documentário
Classificação: M/12
Outros dados: FRA, 2022, Cores, M/12, 60 min

 

Poesia Homónima, por Júlio Resende e Júlio Machado Vaz
15 abril | 21:30 | 5€
Música + Poesia | Sala Principal TMO

PROGRAMAÇÃO INTEGRADA NA FESTA DO LIVRO DE OURÉM

 

Poesia Homónima foi a aventura feliz de dois Júlios: Resende ao piano e Machado Vaz como dizedor. Nunca os espetáculos se limitaram a apresentação do disco, construído à volta da poesia de Eugénio de Andrade e Gonçalo M. Tavares. Novos autores foram explorados, bem como a vertente visual, com pinturas de artistas tão diversos como Dali e Van Gogh. A digressão não escapou aos parênteses que a pandemia vem impondo à Cultura. Mas as saudades eram muitas e Júlio Resende propôs um reencontro “a três”: o pianista, o dizedor e o personagem criado pelos poetas, que adivinhamos dele nos versos que tricotou?

A ajuda do público é bem-vinda, mais! desejada, afinal a Arte do Reencontro não se esgota em abraços e risos, exige a conversa que celebra a Palavra. É tempo de retomar a estrada…

 

Classificação etária: M/6
Duração: 90 minutos

 

O Urso que não era, de Filipa Mesquita e Márcia Leite
17 abril | 10:00 + 11:15 + 14:15 | Público Escolar
Teatro de Objetos | Caixa de Palco TMO

PROGRAMAÇÃO INTEGRADA NA FESTA DO LIVRO DE OURÉM

 

“O URSO que NÃO ERA” é a história de um urso que vivia numa floresta.

“Quando os gansos migram para sul e as folhas das árvores ficam amarelas, vermelhas ou castanhas e começam a cair, o Urso procura um lugar para dormir, dormir o seu sono de inverno, hibernar até a primavera…” normal e de acordo com a sua natureza. Mas, enquanto dorme, tudo vai mudar… e quando acordar na primavera, espera-lhe uma grande surpresa…

Uma analogia brilhante à época, mas muito atual tanto pela crítica à perda de identidade, como também, e intrinsecamente, pela abordagem ao capitalismo, a indiferença e a diferença, as rotinas, a poluição e destruição da natureza.

Este apelo à reflexão de uma forma tão cómica é soberbo. Quem somos? Ursos? Homens tontos? Ou o quê?

 

Classificação etária: M/3
Duração: 45 min.

 

Contopias, por Jorge Serafim
20 abril | 21:30 | 5€
Narração oral de contos | Sala Principal TMO

PROGRAMAÇÃO INTEGRADA NA FESTA DO LIVRO DE OURÉM

 

Contar é o ato de apagar fronteiras. De separar o que importa do que não.

Contopias são contos ao redor do mundo que têm na palavra a forma de reencontrar as pessoas em tudo o que as une e separa. Em tudo o que as assemelha e diferencia. São histórias, índias, africanas, europeias, orientais, árabes, narradas numa única sessão. Talvez o contador de histórias seja o último reduto da utopia. O homem que pela palavra encontra semelhanças que diluem as ignorâncias invasivas. Esta viagem condensada numa única sessão pretende atravessar o mundo e os seus ouvintes, reaproximando-os em toda a geografia do afeto. Essa é a força maior da memória e da palavra partilhada sem preconceito.

“Saber quem somos, para saber que os outros também o são.”
Jorge Serafim

 

Classificação etária: M/6 anos
Duração: 60 minutos

 

Uma Cadeira na Montanha, de Mónica Samões e José Pelicano
22 abril | 16:00 | Acesso gratuito
Leituras encenadas | Sala Principal TMO

PROGRAMAÇÃO INTEGRADA NA FESTA DO LIVRO DE OURÉM

 

Uma história contada por crianças numa viagem ao contrário ao universo das palavras e do som.

Uma Cadeira na Montanha é um projeto de leituras encenadas que tem como ponto de partida o livro “O Mundo é Redondo” da escritora Gertrude Stein. Integra a realização de uma oficina – atelier dirigida a crianças com idades compreendidas entre os 10 e os 12 anos e resulta numa apresentação final aberta à comunidade, sob a forma de uma pequena peça vocal, onde as crianças leem uma história para os adultos.

 

Celebrando Abril com Zeca e Ary, pela AMBO – Academia de Música Banda de Ourém
25 abril | 17:30 | Acesso Gratuito
Música | Sala Principal TMO

 

O Dia da Liberdade vai ser comemorado no Teatro Municipal de Ourém com a apresentação do concerto “Celebrando Abril com Zeca e Ary”.

Este espetáculo de acesso gratuito vai ser promovido pela AMBO – Academia de Música Banda de Ourém e versará sobre as sonoridades de Abril de 74, alicerçadas na poesia de José Afonso e José Carlos Ary dos Santos.

 

Ciclo Albardeira | Victoria + Neuza Matias
27 abril | 21:30 | 5€
Residência Artística | Caixa Palco TMO

O Ciclo Albardeira é uma coprodução do Teatro Municipal de Ourém e a Albardeira – Associação Cultural, uma entidade jovem, sem fins lucrativos, fundada em 2021 por um grupo de jovens oureenses. Esta iniciativa abre a porta do TMO a talentos emergentes e locais da música portuguesa.

Após 5 edições ao longo de 2021 e 2022, em 2023 o projeto transforma-se para reforçar os seus objetivos iniciais – incentivar a criação artística local, criar sinergias entre artistas locais e nacionais, valorizar o património concelhio e provocar os artistas a sair da sua zona de conforto. Para 2023 os artistas serão convidados a realizar uma residência artística de 5 dias que resultará na apresentação de um espetáculo único no TMO.

Em 2023 o ciclo passa a fronteira da música para um conceito multidisciplinar, existindo residências entre músicos e artistas de outras áreas como as artes plásticas ou performance.

 

VICTORIA

Francisco Madureira e Paulo Lopes são os músicos responsáveis por toda a música que Victoria faz. Não que os temas sejam sobre eles, antes sobre a realidade que os rodeia e que destilam através da personagem fictícia que criaram para encabeçar a procura musical que têm vindo a desenvolver.

 

NEUZA MATIAS

Neuza Matias (2002) vem de Portugal, e atualmente reside em Londres, onde estuda pintura na UAL, Camberwell College of Arts. Recentemente o seu trabalho foi exposto em Southwark Park Galeries (Londres), APT Gallery (Londres), Corrente de Ar Vol. II (Lisboa), Festival a Porta (Leiria).

‘O mundo misterioso de Neuza Matias é-nos apresentado em tom de brincadeira, infantil e aparentemente imaturo, povoado por figuras que parecem brinquedos. Vemos paisagens de outros mundos, com seres de outros mundos, a fazer coisas que não lembram ao diabo… No meio deste cenário absurdo, geralmente encontramos um paralelo óbvio com o nosso mundo. No fundo e quando visto de perto é um trabalho sobre vida e morte, amor e sofrimento’ – Leonardo Rito 2022

 

Classificação etária: M/16
Duração: 60 minutos

 

Coreografia em Sala de Aula, de João dos Santos Martins
28 abril | 10:00 | Público Escolar
Dança + Espetáculo | Escola Básica e Secundária de Ourém

Há uns séculos atrás, alguém decidiu inventar uma maneira de escrever danças em papel para depois passar a outras pessoas para aprenderem essas danças de cor. A dança transformava-se num desenho e numa língua que era possível ler e passar novamente para o corpo de outra pessoa. Do corpo para o papel, do papel para o corpo. Era como “dançar” uma língua e “falar” uma dança, sem se perceber muito onde começa uma e onde acaba a outra.

O que (te) diz a dança? é um ciclo que pretende ampliar a percepção do que é dança e desmistificar a ideia de que a dança contemporânea não é para todas as pessoas. A partir de um conjunto de três criações, o ciclo desdobra-se em espetáculos, conversas e oficinas.

 

Coreografia: João dos Santos Martins
Interpretação: Adriano Vicente
Produção: Materiais Diversos e Associação Parasita

Materiais Diversos e Associação Parasita são financiadas por República Portuguesa | Cultura-Direção Geral das Artes

 

Classificação etária: m/6 anos
Duração: 30 min (aprox.)

 

Um gesto que não passa de uma ameaça, de Sofia Dias & Vítor Roriz
29 abril | 21:30 | 7,5€ (descontos aplicáveis)
Dia Mundial da Dança | Sala Principal TMO

Como quando repetimos uma palavra até ela perder o seu significado, neste trabalho procuramo-nos situar nesse momento de perda e atribuição de sentido, de degeneração e transformação, indo ao encontro do modo caótico como a nossa mente percebe e associa acontecimentos. Assim, libertamo-nos de determinismos semânticos e sintáticos, dissimulamos a hierarquia aparente entre a palavra, a voz, o movimento e o gesto e aspiramos a novas constelações de sentido que reflictam a complexidade da experiência humana que tão ingenuamente se tenta conter em sistemas e modelos.

O que (te) diz a dança? é um ciclo que pretende ampliar a percepção do que é dança e desmistificar a ideia de que a dança contemporânea não é para todas as pessoas. A partir de um conjunto de três criações, o ciclo desdobra-se em espetáculos, conversas e oficinas.

Sofia Dias & Vítor Roriz é uma estrutura financiada pela República Portuguesa – Cultura I DGARTES – Direção-Geral das Artes.

 

Classificação etária: m/6 anos
Duração: 40 min (aprox.)

 

Preço com desconto: 6€
(desconto JOVEM para menores 30 anos; desconto SÉNIOR para maiores 65 anos; desconto FAMÍLIAS para famílias de 3 ou mais elementos com adulto(s) e criança(s) até aos 12 anos; desconto CULTURAL para alunos e professores de Conservatórios, Academias, Escolas de Artes e Ensino Superior Artístico)

 

MAIS INFORMAÇÕES EM
https://teatromunicipal.ourem.pt/

BILHETES
Bol.pt (bit.ly/BilheteiraTMO) | Lojas Worten, Fnac, CTT
Bilheteira TMO | 4ª a 6ª | 13:00 – 19:00
Dias de espetáculo | 2 horas antes do início
bilheteira.tmo@cm-ourem.pt | 916 591 231

Partilhar:

Veja também

Política de Privacidade Mapa do Site Acessibilidade CMOurém © 2023 - Todos os direitos reservados