Mainnav Content Mainbody
Reduzir fonte Letra tamanho normal Aumentar fonte

“FÁTIMA É UM DOS DESTINOS RELIGIOSOS MAIS CONHECIDOS DO MUNDO”

A afirmação é de Taleb Rifai, Secretário-geral da Organização Mundial de Turismo (OMT), que durante dois dias participou no Congresso Internacional de Turismo Religioso e Peregrinação que decorreu em Fátima e contou com mais de 1200 participantes. Este evento de alcance internacional recebeu ainda o Ministro da Economia de Portugal, Manuel Caldeira Cabral, os mais altos representantes dos países membros da OMT e reconhecidos oradores vindos dos quatro quadrantes do mundo, além das participações do Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Luís Miguel Albuquerque e do Presidente da Assembleia Municipal, João Moura.


Para o responsável máximo da Organização Mundial de Turismo a marca Fátima é “muito poderosa, com uma presença mundial muito forte, que deve ser maximizada” e neste contexto “devemos olhar para o desenvolvimento do turismo religioso também dentro de todo o turismo cultural, que é um segmento que está em crescimento a nível mundial e que tem de estar totalmente coordenado”. O setor do turismo religioso movimenta diariamente 3,2 mil milhões de dólares (dados da OMT) e o Santuário de Fátima registou este ano um aumento considerável de peregrinos, em especial peregrinos vindos da Coreia do Sul, da Índia, da Indonésia, das Filipinas e também da China.

Segundo Taleb Rifai os principais desafios do turismo religioso são a segurança, a tecnologia e a sustentabilidade. Estas ideias foram defendidas no discurso de encerramento do congresso onde salientou a importância de “viajar em segurança, de forma agradável e livre” e a necessidade do turismo saber tirar vantagens da tecnologia como uma ferramenta útil, e não como uma ameaça. O Secretário-geral da OMT defendeu ainda que o desafio mais importante é o da sustentabilidade, já que apesar de “um em cada quatro turistas viajarem por motivos religiosos, por isso temos uma estimativa de 300 milhões de turistas religiosos que viajam para peregrinações ou por motivos religiosos diversos”, a questão que se coloca é “o que é que fazemos com estes números, como é que tornamos este grande crescimento numa vantagem, numa oportunidade?”. Por outro lado, defendeu também que é importante construir uma planificação para todo o ano, evitando a sazonalidade, e as receitas provenientes das visitas turísticas devem ser aplicadas na preservação dos próprios locais turísticos, nomeadamente nas acessibilidades.


Manuel Caldeira Cabral revelou que o turismo religioso em Portugal aumentou cerca de 40%, sobretudo devido à comemoração do centenário e à vinda do Papa a Fátima, e que estes números são “muito importantes para a estabilidade do setor, para não ser um setor tão sazonal, de picos de emprego no Verão e picos de desemprego no Inverno e para poder manter emprego ao longo de todo o ano”. O Ministro da Economia anunciou ainda que o Governo está a trabalhar para melhorar os acessos pedonais a Fátima e que na zona norte do País a prioridade são os caminhos de Santiago.


O Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Luís Miguel Albuquerque, enalteceu o prestígio que representa para o Município de Ourém acolher um evento com esta envergadura e alcance, enaltecendo a qualidade do trabalho desenvolvido por toda a organização e os importantes contributos do seu antecessor, Paulo Fonseca, e do já falecido Francisco Vieira. Reconheceu também a necessidade de melhorar “as acessibilidades em Fátima” e reivindicou um envolvimento acrescido do poder central nas políticas de promoção do turismo religioso porque o município isoladamente não “tem capacidade” e é necessário que “as instâncias políticas e económicas dediquem mais atenção ao potencial do turismo religioso à escala global”. O Presidente da Câmara fez um balanço “extremamente positivo” dos trabalhos e afirmou estar empenhado em melhorar as relações com o Santuário, ajudando a levar ao maior número de países o nome de Fátima. Segundo Luís Miguel Albuquerque a realização do congresso em Fátima é “encerrar com chave de ouro o Centenário das Aparições” e “vamos trabalhar para que a Cova da Iria continue a ser um dos principais destinos turísticos em Portugal”. Neste contexto, anunciou também a realização do VI Workshop Internacional de Turismo Religioso, uma organização conjunta do Município de Ourém e da ACISO, em fevereiro de 2018.

O Congresso Internacional de Turismo Religioso e Peregrinação teve por objetivo refletir sobre o potencial e o papel do turismo religioso e dos lugares sagrados como uma ferramenta para o desenvolvimento do turismo sustentável e assinalou o encerramento das comemorações do Centenário das Aparições de Fátima. O evento teve organização do Município de Ourém em parceria com a Organização Mundial de Turismo (OMT) e com o apoio do Ministério da Economia de Portugal e a edição de 2018 terá lugar em Cracóvia, na Polónia.

Esta página requer cookies para o seu bom funcionamento. Para mais informações consulte a politica de privacidade. Aceitar utilização de cookies. Politica de privacidade.