Mainnav Content Mainbody
Reduzir fonte Letra tamanho normal Aumentar fonte

PAPA FRANCISCO “ENCERRA” CENTENÁRIO DAS APARIÇÕES E DEIXA MENSAGEM AOS PEREGRINOS

 

O papa Francisco que esteve na primeira grande Peregrinação Internacional do Centenário voltou a fazer-se presente na última, através de uma mensagem, de viva voz, deixada aos peregrinos e transmitida pelos écrans espalhados no recinto.

“Queridos Irmãos, neste dia em que celebrais o encerramento do Centenário das Aparições da Santíssima Virgem em Fátima, quero enviar-vos a minha bênção e a minha saudação. Trago ainda no meu coração a memória da viagem e as bênçãos que a Virgem me quis dar e dar à Igreja nesse dia. Nunca tenhais medo, Deus é muito melhor do que todas as nossas misérias; e gosta muito de nós. Ide em frente. E nunca vos afasteis da Mãe. Como uma criança que está junto a sua mãe e se sente segura, assim também nós ao lado da Virgem nos sentimos muito seguros. Ela é a nossa garantia. E, finalmente, quero-vos dar um conselho: Nunca deixeis o Rosário; Nunca deixeis o Rosário, rezai o Rosário, como Ela o pediu. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. E rezem também por mim. Obrigado”.

Por seu lado, o Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou que a sua presença no encerramento das comemorações do Centenário das Aparições de Fátima se justifica em nome de Portugal e de todos os portugueses, crentes e não crentes, numa missão nacional. "É em nome de Portugal, de todo o Portugal e de todos os portugueses, dos crentes e não crentes, católicos, cristãos, não cristãos, de todos eles, que aqui está o Presidente da República, cumprindo uma missão nacional", disse Marcelo Rebelo de Sousa, em Fátima. Intervindo na sessão solene de encerramento do Centenário das Aparições de Fátima, que decorreu na Basílica de Nossa Senhora do Rosário, precedendo um concerto do Coro e da Orquestra Gulbenkian, o chefe de Estado quis sublinhar "a duplo título" o significado da sua presença enquanto Chefe de Estado, evidenciando o Centenário "devidamente celebrado". "Um Centenário que assinala a presença de Fátima na história contemporânea de Portugal, ou mais genericamente na História de Portugal, pelo encontro ao longo de 100 anos de milhões de portuguesas e de portugueses, que aqui vêm agradecer pelas suas alegrias, chorar as suas dores, formular os seus pedidos, testemunhar a sua fraternidade", frisou. "Mas também, porque Fátima é projeção de Portugal no mundo e do mundo em Portugal", adiantou Marcelo Rebelo de Sousa. O Presidente sublinhou ainda que Fátima foi "ponto de vinda e de chegada" de sucessivos papas, aludindo às visitas de Paulo VI, João Paulo II, Bento XVI e Francisco "em momentos diversos da história de Portugal", destacando a mensagem de paz que o pontífice deixou aos peregrinos da Cova da Iria. Marcelo Rebelo de Sousa terminou a intervenção fazendo votos de que a mensagem de Fátima - que disse ser a mensagem da paz, da fraternidade, da humanidade e do amor em todas as suas dimensões - possa inspirar todos. "Possa inspirar a sociedade portuguesa, possa inspirar a humanidade no presente e no futuro", declarou. Já António Marto, bispo de Leiria-Fátima, disse na mesma sessão que a incontável multidão de peregrinos que ao longo deste ano acorreu à Cova de Iria é "grata expressão de que o Santuário continua a ser lugar congregador das sedes e esperanças da humanidade". Fátima é, segundo o bispo, um espaço de acolhimento incondicional de todos os homens e um oásis espiritual "onde as pessoas encontram a frescura capaz de regenerar a alma e a fé". Ao longo de um século, acrescentou, "Fátima confirma que a história definitiva, essa que tem horizontes largos e não se prende com nada de menor, se reza com a simplicidade dos humildes que estão dispostos a oferecer-se para bem dos demais". Paulo Fonseca, presidente da Câmara de Ourém, afirmou na circunstância que 2017 "está a ser um ano absolutamente relevante" para Fátima, não só como encerramento comemorativo do primeiro Centenário das Aparições "mas fundamentalmente como abertura de um segundo centenário". "É da mais elementar inteligência e do mais elementar bom senso que tenhamos feito aquilo que, sem falsa modéstia, fizemos, que foi aproveitar este ano comemorativo para lançar as bases para o futuro e, de alguma forma, consolidar esta imagem de Fátima no mundo", declarou. Cerca de 400 convidados do Santuário de Fátima assistiram ao espetáculo que teve transmissão para o exterior da basílica, permitindo aos peregrinos acompanhar o concerto - com cerca de uma hora e meia de duração - no recinto de oração. A Basílica de Nossa Senhora do Rosário, onde se situam os túmulos dos três pastorinhos e que é um dos locais mais visitados do local de culto, esteve encerrada ao público nos últimos dois dias devido à realização do concerto e reabriu sábado, às 09:00.

Esta página requer cookies para o seu bom funcionamento. Para mais informações consulte a politica de privacidade. Aceitar utilização de cookies. Politica de privacidade.